Av. Itaú, nº 450, Dom Cabral, 30535-012, Belo Horizonte

PROJETO PESSOAL DE VIDA

PPV – PROJETO PESSOAL DE VIDA

As orientações abaixo sobre o PPV querem ser um auxílio à espiritualidade do seminarista, do processo de orientação espiritual e discernimento vocacional. Sendo assim, cada um sinta-se livre para segui-lo por inteiro, em parte ou ainda elaborar um PPV de uma outra forma mais adaptada a sua realidade pessoal. Importante, porém, é a elaboração por escrito do PPV e o acompanhamento do Diretor Espiritual.

A – O que é um PPV e quais seus princípios teóricos?

É um meio pedagógico para impulsionar e unificar o processo de autoformação e amadurecimento do indivíduo que deseja ser fiel a Deus no seguimento de Jesus Cristo.

É um instrumento forte de revisão de vida e de tomada de decisões para o crescimento. Neste sentido o PPV é uma experiência.

            É um meio de integração de todos os aspectos formativos em uma única direção. Ajuda na identificação das lacunas formativas e daqueles elementos que podem sustentar o processo.

É um instrumento (trabalho escrito) que serve de referência para o autocontrole e o acompanhamento do processo durante o semestre ou ano letivo (segundo o estabelecido).

O PPV supõe:

  1. Uma visão do homem como ser-em-projeto, chamado a realizar-se, sujeito de sua própria transformação e realização;
  2. Uma pedagogia, ou seja, um processo educativo que se localiza entre o ser e o dever-ser (ponto de partida e ponto de chegada de um período de formação);
  3. Uma visão cristã que integra os seguintes elementos:

– A vocação que exige cortes e opções claras no modo de conduzir a própria vida.

– O seguimento de Jesus Cristo, que exige contínua conversão e confrontação com o estilo de vida do Evangelho.

– A pedagogia das primeiras comunidades, como pedagogia do amadurecimento da fé mediante um compromisso pessoal de vida.

– Uma prática do discernimento: a formação no seminário é entendida hoje como prática do discernimento espiritual (que se orienta no sentido vocacional e apostólico). Todo discernimento supõe um plano, um projeto, que é em primeiro lugar Projeto de Deus (sua vontade sobre a nossa vida: ser pessoas à sua imagem) e também o plano que cada qual, na sua liberdade, escolhe para si.

B – PPV e o Diretor Espiritual ou Formador

Na elaboração do PPV o Diretor Espiritual (DE) tem um papel importante, mas não impositivo. O primeiro responsável do seu PPV é o seminarista. Ele discerne os aspectos fundamentais sobre os quais deve trabalhar e decide seus compromissos. O DE acompanha, orienta e guia, primeiro na elaboração e, depois, na realização do mesmo. O papel do DE ou do Formador é indireto:

– Não conduz, mas ensina a conduzir-se;

– Não desenvolve o processo espiritual por ele, mas com ele;

– Não se faz de determinante, mas de acompanhante.

No encontro mensal o DE interessa-se pelo estado de desenvolvimento do PPV, questiona e anima para que, na avaliação semestral ou anual, o candidato possa reformular suas metas e passar a outros assuntos importantes do seu processo formativo. É preciso estimular o investimento em novas frentes, pois muitos jovens tendem a permanecerem sempre ao redor dos mesmos problemas.

C – Como se faz o PPV? São necessários dois pontos:
  1. Criar um ambiente propício:
  2. De oração: Espaços suficientes para a oração pessoal com a finalidade de ajudar a assimilar as orientações e criar uma disponibilidade de espírito à ação do Senhor. É importante também a oração grupal que insista no tema do conhecimento vivencial de Jesus.
  3. De confrontação pessoal: antes de elaborar o PPV é bom que o seminarista faça um levantamento da real situação em que se encontra no momento. Sugere-se escrever uma autobiografia e uma avaliação crítica do momento atual nas diversas dimensões da formação.
  4. De reflexão: Que tipo de homem/cristão/sacerdote quero ser? Tal pergunta exige uma reflexão crítica ante os modelos que lhe são apresentados em confronto com o modelo evangélico de homem.

2- Acompanhamento

  1. a) Cada candidato terá como “documento de cabeceira”, ao longo do ano, o instrumento que elaborou (PPV). Fará releitura e oração pessoal à partir deste, revisando-o mensalmente na “noite de oração” ou no retiro espiritual e com o seu DE.
  2. b) O PPV será uma ajuda valiosa para o diálogo com o formador e com o DE. Avaliações em grupos, dinâmicas de grupo e atividades em comum servirão à observação dos candidatos em modo a conhecer melhor suas características pessoais.
D – Controle, avaliação, reelaboração

O PPV é dinâmico, como é o próprio processo de amadurecimento da pessoa. Isto exige, em consequência:

  1. Controle permanente do PPV por parte do candidato e do DE e/ou formador.
  2. Avaliação ao final de cada semestre (com instrumento adequado) que visa descobrir sucessos e falhas que permitam motivar para continuar o processo. É conveniente que cada seminarista faça por escrito a sua autoavaliação, a apresente aos companheiros de caminhada e aos formadores.
  3. Reelaboração: Que deve-se fazer não apenas no início de cada semestre, mas também durante o processo de execução do PPV uma vez que se faz necessário corrigir certas falhas ou completar lacunas. Ao final de cada ano convém avaliar a caminhada feita e já delinear algumas metas para o ano seguinte.
  4. No início de cada ano letivo e por ocasião dos retiros espirituais, é preciso oferecer a oportunidade de amplos espaços de silêncio e reflexão para que cada qual reelabore o seu PPV.
ANEXO 4
MODELO DE PROJETO PESSOAL DE VIDA

Nome: ____________________________________________________

Local: ____________________________________________________

Data: ____/____/____

  1. Avaliação de sua vida pessoal e de sua experiência formativa:
  • Valores pessoais, qualidades
  • Defeitos e fragilidades
  • Principais dificuldades encontradas no processo
  • Sucessos e fracassos
  1. Missão: o presbítero que você deseja ser (considerar cada uma das dimensões da formação)
  2. Objetivo específico para este ano.
  3. Uma ou duas metas para cada uma das áreas da formação.
  4. Meios concretos para realizar tais metas.
  5. Palavra de vida: encontrar uma palavra bíblica que lhe sirva de motivação neste trabalho de personalização da sua formação.

1 – Objetivo geral de sua formação presbiteral

2 – Objetivo específico deste ano

3 – Área humanoafetiva

  1. Duas metas bem concretas
  2. Escreva alguns meios, facilmente avaliáveis, para alcançar tais metas

4 – Área comunitária

  1. Duas metas bem concretas

5 – Área espiritual:

  1. Duas metas bem concretas
  2. Escreva alguns meios, facilmente avaliáveis, para alcançar tais metas

6 – Área intelectual:

  1. Duas metas bem concretas
  2. Escreva alguns meios, facilmente avaliáveis, para alcançar tais metas

7 – Área Missionário-Pastoral:

  1. Duas metas bem concretas
  2. Escreva alguns meios, facilmente avaliáveis, para alcançar tais metas

Uma palavra de vida:

Escolha uma frase bíblica que lhe sirva de motivação durante todo este ano de caminhada. Seria bom que você fizesse com ela um belo cartaz e o afixasse em seu quarto para que possa recordá-la continuamente.