Av. Itaú, nº 450, Dom Cabral, 30535-012, Belo Horizonte

Início do ano formativo 2017

Hoje, iniciamos as atividades formativas nas duas casas de formação, Seminário São José, em Belo horizonte, e Seminário Propedêutico, em Itabira.

No dia 25 de janeiro de 2017, iniciamos nosso retorno ao ano formativo com missa presidida pelo nosso bispo diocesano, Dom Marco, na catedral Diocesana em Itabira, que destacou a importância dos cinco aspectos fundamentais que devem aparecer de maneira diversa em cada etapa do caminho, mas que se complementam intimamente e se alimentam entre si: encontro com Jesus Cristo, conversão, discipulado, comunhão e missão (DAp, n. 278, 322).

  1. O Encontro com Jesus Cristo: é o início do processo formativo. Como discípulo missionário ouve o chamado: “Segue-me” (Mc 1,14; Mt 9,9). O encontro é a possibilidade da formação como um processo renovador e de amadurecimento.
  2. A Conversão: é a dinâmica formativa de quem escutou o Senhor com admiração e gratidão, crê nele pela ação do Espírito e se coloca no seu seguimento. A formação busca mudar o modo de pensar e de viver, aceitando a cruz de Cristo, consciente de que morrer para o pecado é alcançar a vida.
  3. O Discipulado: possibilita o crescimento constante no conhecimento de Jesus Cristo, de sua pessoa, de seu exemplo e de sua doutrina. Ser discípulo é seguir o caminho, é entrar no Caminho, é entrar em Cristo e Cristo em nós, numa profunda interioridade mútua, formando uma como única personalidade mística. “É fundamental que durante os anos de formação os seminaristas sejam autênticos discípulos” (DAp, n. 319).
  4. A Comunhão: não pode existir vida cristã fora da comunidade. Como os primeiros cristãos, que se reuniam em comunidade, o presbítero e o seminarista participam na vida da Igreja e no encontro com os irmãos e irmãs, vivendo o amor de Cristo na vida fraterna solidária. Ele cresce em comunhão nas famílias, nas paróquias, nas comunidades de base, em outras pequenas comunidades e movimentos. “A Igreja necessita de sacerdotes e consagrados que nunca percam a consciência de serem discípulos em comunhão” (DAp, n. 324). A comunhão no processo formativo é expressão da comunhão dos santos, do Reino definitivo.
  5. A Missão: à medida que o processo formativo conduzir ao seguimento de Jesus Cristo, despertará a necessidade de compartilhar com outros a alegria de ser enviado, de ir ao mundo para anunciar Jesus Cristo, morto e ressuscitado, de realizar o amor e o serviço aos mais necessitados, de construir o Reino de Deus. No processo formativo a missão é inseparável do discipulado; por isso, não deve ser entendida como uma etapa posterior à formação (DAp, n. 278).

Na manhã do dia 26, Dom Marco retomou alguns pontos formativos e partilhou um pouco da experiência desses anos de episcopado em nossa diocese, nos acolheu e nos desejou um frutuoso ano formativo. Fez dinâmicas ligada a nossa formação utilizando textos/parábolas para refletirmos sobre nosso processo vocacional. Compartilhamos um deles para que você também possa refletir:

Feijões no sapato

Um monge, próximo de se aposentar, precisava encontrar um sucessor.
Entre seus discípulos, dois já haviam dado mostras de que eram os mais aptos, mas apenas um poderia sucedê-lo.
Para sanar as dúvidas, o mestre lançou um desafio, para colocar a sabedoria dos dois à prova: ambos receberiam alguns grãos de feijão que deveriam colocar dentro dos sapatos, para então empreender a subida de uma grande montanha.
Dia e hora marcados, começa a prova.
Nos primeiros quilômetros, um dos discípulos começou a mancar. No meio da subida, parou e tirou os sapatos. As bolhas em seus pés já sangravam, causando imensa dor. Ficou para trás, observando seu oponente sumir de vista.
Prova encerrada, todos de volta ao pé da montanha, para ouvir do monge o óbvio anúncio. Após o festejo, o derrotado aproxima-se e pergunta ao vencedor como é que ele havia conseguido subir e descer com os feijões nos sapatos:
– Antes de colocá-los no sapato, eu os cozinhei – foi a resposta.

Nos dias 27, 28 e 29, retomamos alguns aspectos do processo formativo e da formação e vivência dos grupos de vida. Tivemos momentos de descanso, lazer, oração do Santo terço e celebrações eucarísticas.

Na segunda, dia 30, nossa manhã de integração foi para darmos continuidade a proposta dos Grupos de Vida. Fizemos a redistribuição dos seminaristas nos grupos, eleição de novos coordenadores e escolha do padroeiro para nortear a vida dos grupos. Agora ao longo do ano formativo, principalmente no início do mês de fevereiro, vamos dar vida aos grupos com a espiritualidade e vivência comunitária.

Os novos grupos foram divididos da seguinte forma:

Grupo de Vida – São Padre Pio Pietrelcina

Gabriel, Artur, Robson, Júnior (Coordenador), Marlon e Thiago

Grupo de Vida – Imaculado Coração de Maria

Lucas Araújo, Willian, Lucas Magno, Júlio, Ronan e Paulo Leal (Coordenador)

Grupo de Vida – Nossa Senhora de Fátima

Helvert, Fernando, Luciano, Marcos (Coordenador), Jhonatan e Paulo Barroso

Grupo de Vida – Profeta Isaías

Ivan, Francis, Márcio, Adriano, Rafael e Gustavo (Coordenador)

Obs.: Depois vamos atualizar a foto, falta um membro de nosso GV, Ludugerio, estava acompanhando sua família neste dia.

Com a graça de Deus, o amor materno da Virgem Maria e a intercessão de São José queremos louvar e agradecer pelo nosso período de férias, essa semana de integração e pedir que Deus nos guie e nos fortaleça nessa nova etapa formativa.

 

Márcio Rodrigo Mota

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *